HOME DIOCESE CLERO SERVIÇOS DOWNLOADS CNBB STA SÉ / VATICANO CONTATO
(19) 3441-5329 | contato@diocesedelimeira.org.br     

Pe. Ocimar Francatto: "O que dizem os documentos da Igreja sobre a Homilia"

Olá amigos e amigas!

Que bom estarmos juntos mais uma vez.

Como a HOMILIA é “parte integrante da celebração” (Sacrosanctum Concilium, 52; Instrução Geral sobre o Missal Romano, 29) e que não pode ser omitida nas missas dominicais e nas festas de preceitos, a não ser por motivos graves, onde o povo está presente (Sacrosanctum Concilium, 52), gostaria de continuar nossa reflexão sobre este assunto.

Hoje vamos ver O QUE DIZEM OS DOCUMENTOS DA IGREA SOBRE A HOMILIA.

O Concílio Vaticano II na Constituição sobre a Sagrada Liturgia (Sacrosanctum Concilium SC - 1963), no número 52 diz:

  • a homilia é parte da própria liturgia;
  • durante o Ano Litúrgico são apresentados os textos sagrados, os mistérios da fé e as normas da vida cristã;
  • não podem ser omitidas nas missas dominicais e nas festas de preceito, a não ser por motivo grave.

A Instrução Inter Oecumenici - de 1964 retoma os elementos da Sacrosanctum Concilium e acrescenta:

  • a homilia pode ser a explicação de algum aspecto da leitura da Sagrada Escritura ou de algum outro texto do Ordinário ou do Próprio da Missa do dia, que tenha relação com o mistério que se celebra ou com as necessidades dos ouvintes (n. 54)

A Instrução Geral sobre o Missal Romano – (IGMR) (na sua Terceira Edição Típica – 2000) diz:

  • normalmente é feita pelo próprio presidente da celebração (n. 66). Numa concelebração será feita pelo presidente ou por um dos concelebrantes (n. 66);
  • nas leituras explanadas pela homilia Deus fala a seu povo (n. 55; SC. 33);
  • lugar da homilia é na cadeira ou no ambão, ou se for oportuno em outro ligar adequado (n. 136, 309).

A Introdução ao Elenco das Leituras da Missa- (Ordo Lectionum Missae – OLM –1981) retoma os dados acima e acrescenta:

  • Cristo está presente e operante na pregação de sua Igreja (n. 24);
  • que a homilia seja realmente fruto da meditação, devidamente preparada, não muito longa e nem muito curta e que se levem em consideração todos os presentes, inclusive as crianças e o povo, de um modo geral as pessoas mais simples (n 24);
  • deve haver homilia nas missas celebradas para as crianças ou para os gruposparticulares (n. 25)
  • não fazer os avisos durante a homilia, pois o seu lugar é seguida à oração depois da comunhão (n. 27).

O Diretório para Missas com crianças – 1973 diz:

  • a homilia poderá ser feita por um adulto que participa da missa com crianças, com a aprovação do pároco, sobretudo se ao sacerdote se torna difícil adaptar-se à mentalidade das crianças (n. 24).

O Documento de Medellín (1968) embora não fale especificamente em homilia lembra que:

  • “assim com Israel, o antigo Povo, sentia a presença salvífica de Deus quando da libertação do Egito, da passagem do Mar Vermelho e conquista da Terra Prometida, assim também nós, o novo Povo de Deus, não podemos deixar de sentir seu passo que salva quando se dá o verdadeiro desenvolvimento, que é, para todos e cada um, a passagem de condições menos humanas a condições mais humanas” (Introdução n. 6).

O Documento de Puebla (1979) diz:

  • “a homilia, como parte da liturgia, é ocasião privilegiada para se expor o mistério de Cristo no aqui e agora da comunidade, partindo dos textos sagrados, relacionando-os com o sacramento e aplicando-os à vida concreta. Sua pregação deve ser esmerada e sua duração proporcionada às outras partes da celebração” (n. 930).

O Documento 43 da CNBB- Animação da vida litúrgica no Brasil (1989), nos números 275 a 280 retoma o que já foi dito acima acrescentando:

  • a homilia, que não é sermão ou outra forma de pregação, significa conversa familiar (n. 275);
  • atualizar a Palavra deDeus, fazendo ligação da Palavra escrita nas leituras com a vida e a celebração (n. 276);
  • os fiéis, congregados para formar uma Igreja pascal e para a festa do Senhor presente no meio deles, esperam muito da homilia e poderão tirar muitos frutos. Tem que ser simples, clara, direta e adaptada. Tem que estar profundamente ligada ao Evangelho e fiel ao Magistério da Igreja (n. 277);
  • pode ser preparada em equipe (n.278);
  • pode ser dialogada (onde possível);
  • pode haver dramatização da Palavra, para completar a homilia (n. 280).

Desta forma podemos dizer que a homilia é uma ação sacramental, pois é através da palavra humana que Deus quer se fazer presente, quer nos atingir com sua Palavra e nos transformar.

Até mais...

 

Pe. Ocimar Francatto

Conheça o Bispo
HOME
 
DIOCESE
Conselhos e Comissões
Centro Diocesano de Limeira (CDL)
Bens Culturais
 
CLERO
 
SERVIÇOS
Secretariado de Pastoral
Rádios
Links Uteis
+ Economato
 
 
CNBB
 
STA SÉ / VATICANO
 
CONTATO
© 2016 Todos os direitos reservados
Diocese de Limeira