HOME DIOCESE CLERO SERVIÇOS DOWNLOADS CNBB STA SÉ / VATICANO CONTATO
(19) 3441-5329 | contato@diocesedelimeira.org.br     

Pe. Ocimar Francatto: Considerações finais sobre a oração dos fiéis - Parte I

Olá amigos e amigas!

Mais uma vez estamos juntos para refletirmos um pouco mais sobre a nossa Sagrada Liturgia.

Estamos meditando sobre a Oração dos Fiéis. Vamos fazer nossas CONSIDERAÇÕES FINAIS SOBRE A ORAÇÃO DOS FIÉS. Repartiremos esta reflexão em quatro partes. Hoje faremos a Parte I.

 Tentaremos responder algumas perguntas que sempre são feitas a respeito da oração dos fiéis.

O que é?

É uma oração que responde de certo modo à Palavra de Deus acolhida na fé, onde o povo exercendo a sua função sacerdotal eleva preces a Deus pela salvação de todos (Instrução Geral sobre o Missal Romano 71).

Temos que ter presente três coisas:

a-) É uma súplica dirigida a Deus. Sua finalidade não é expressar adoração ou ação de graçasou o louvor próprio de algum santo; nem é a recordação didática de alguma verdade sobre os deveres da religião ou da natureza da missa.

b-) Pede a Deus, sobretudo, benefícios universais. Pede por toda a Igreja, pelo mundo, por todos os que se encontram afligidos por diversas necessidades, ainda que também seja louvável que se suplique pelos mesmos fiéis que agora e aqui se encontram reunidos.

c-) É própria do povo fiel. Porque a assembléia responde às invocações do ministro.

Quem faz?

O diácono, o cantor, o leitor, o fiel leigo (IGMR 71; Inter Oecumenici 56).

Onde faz?

“São proferidas do ambão ou de outro lugar apropriado” (IGMR 71). A Instrução (primeira) Inter Oecumenici diz que é do ambão (31).

Do local de onde se faz a oração é o enfoque que a comunidade quer dar a oração dos fiéis.

Ambão: porque ainda é Liturgia da Palavra e toda ela se realiza na Mesa da Palavra. Toda atenção deve ser voltada para a Mesa da Palavra, por causa da sua dignidade (IGMR 309). Quem fizer as intenções do ambão é bom ir para o local já no “Amém” do Credo, para estar lá quando a oração dos fiéis começar, e permanecer lá até o presidente concluir a oração, quando termina a oração.

Outro lugar apropriado: quando quer deixar o ambão somente para o que Deus nos diz (Leituras, Salmo, Evangelho) e não tanto para o que nós dizemos a Ele.

O lugar?

A oração dos fiéis está no final da Liturgia da Palavra, mesmo que não tenha a parte da Liturgia Sacramental. Localiza-se mais precisamente após o Símbolo (Credo) antes da Liturgia Sacramental.

Esta oração é como fruto da ação da Palavra de Deus na vida dos fiéis: instruídos, movidos e renovados por ela, estão prontos para poder orar pelas necessidades de toda a Igreja e do mundo.

Da mesma maneira, pois que a comunhão sacramental é a conclusão e, no que toca à participação do povo, é o ponto culminante da Liturgia Eucarística, assim também a oração dos fiéis pode considerar-se, desde os mais antigos testemunhos, o ponto culminante de toda a Liturgia da Palavra. Pode ser considerada como a ligação entre as duas partes da missa: por um lado conclui a Liturgia da Palavra, na qual se tem recordado as maravilhas de Deus e a vocação dos fiéis, e, por outro lado, conduz a Liturgia Eucarística, anunciando algumas das intenções tanto universais como particulares, pelas quais se oferecerá o sacrifício.

Pe. Ocimar Francatto

Conheça o Bispo
HOME
 
DIOCESE
Conselhos e Comissões
Centro Diocesano de Limeira (CDL)
Bens Culturais
 
CLERO
 
SERVIÇOS
Secretariado de Pastoral
Rádios
Links Uteis
+ Economato
 
 
CNBB
 
STA SÉ / VATICANO
 
CONTATO
© 2016 Todos os direitos reservados
Diocese de Limeira