HOME DIOCESE CLERO SERVIÇOS DOWNLOADS CNBB STA SÉ / VATICANO CONTATO
(19) 3441-5329 | contato@diocesedelimeira.org.br     

Solenidade da Natividade de São João Batista

João é o seu nome” (Lc 1,63)

Leituras: Isaías 49,1-6; Salmo 138; Atos dos Apóstolos 13,22-26; Lc 1,57-66.80.

COR LITÚRGICA: BRANCA

Antífona de entrada: Houve um homem enviado por Deus: o seu nome era João. Veio dar testemunho da luz e preparar para o Senhor um povo bem-disposto a recebê-lo (Jo 1,6s; Lc 1,17).

Animador: A Igreja celebra com muita alegria o nascimento de São João Batista. Continua a ser para os homens e mulheres de hoje um grande modelo: de fidelidade ao Senhor, de humildade, de coragem, de serenidade. Vamos aprender com ele a amar a Jesus vivo aqui no meio de nós e que ele apresentou ao mundo.

ORAÇÃO DO DIA

Presidente: Ó Deus, que suscitastes São João Batista, a fim de preparar para o Senhor um povo perfeito, concedei à vossa Igreja as alegrias espirituais e dirigi nossos passos no caminho da salvação e da paz. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. 

Todos: Amém.

1. Situando-nos brevemente

Nesta solenidade, a Palavra de Deus apresenta-nos a figura profética de João Batista. Escolhido por Deus para ser profeta, ainda antes de nascer, ele é um “dom de Deus” ao seu Povo. Sublinhando a importância de João na história da salvação, a liturgia não deixa, contudo, de mostrar que João não é “a salvação”; ele veio, apenas, dirigir o olhar dos homens para Cristo e preparar o coração dos homens para acolher “a salvação” que estava para chegar.

Além da Virgem Maria Mãe de Deus, Nossa Senhora, de nenhum outro santo a Igreja celebra o nascimento, a não ser de São João Batista. Dele, Jesus fez o maior elogio jamais feito pelo Salvador a alguém: “Em verdade vos digo que, entre os nascidos de mulher, não surgiu nenhum maior que João, o Batista” (Mt 11,11). Por isso, a solenidade de hoje!

2. Recordando a Palavra

A primeira leitura apresenta-nos uma misteriosa figura profética, eleita por Deus desde o seio materno, a fim de ser a “luz das nações” e levar a Palavra ao coração e à vida de todos os homens. Impressiona especialmente a centralidade que Deus assume na vida do profeta: toda a missão profética brota de Deus e sustenta-se de Deus.

Na segunda leitura, Paulo fala aos judeus de Antioquia do profeta João. Na perspectiva de Paulo, a missão de João consistiu em convidar os homens a uma mudança de vida e de mentalidade, numa espécie de primeiro passo para acolher o “Reino” que Jesus veio, depois, propor. Paulo deixa claro que João não é o Messias libertador, mas sim aquele que vem preparar o coração dos homens para acolher o Messias.

O Evangelho relata o nascimento de João. Na perspectiva de Lucas, os acontecimentos ligados ao seu nascimento mostram como o profeta João é um “dom de Deus”. Começa, nessa altura, a tornar-se claro para todos que Deus está por detrás da existência de João, e que a sua missão é ser um sinal de Deus no meio dos homens.

3. Atualizando a Palavra

Que lições, que meditações, que exemplos poderíamos colher nesta Solenidade, tendo escutado a Palavra que nos foi anunciada? Sugiro três caminhos reflexivos, que alimentem o coração, afervorem o desejo de colocar-se ao serviço do Senhor e nos conduzam à herança eterna.

A primeira leitura dessa Liturgia nos fez escutar a profecia de Isaías, colocando as palavras do profeta na boca de João Batista. O que aparece neste texto bíblico é que viemos a este mundo não por acaso, não sem um propósito. Somos todos frutos de um sonho de Deus, fomos todos misteriosamente chamados à vida: o Senhor pensou em nós, nos chamou, nos plasmou – e aqui estamos!

O nascimento que hoje celebramos, do filho de Zacarias e Isabel, foi fruto do desígnio amoroso do Pai, que pelo Filho Jesus e para o Filho Jesus, na força do Espírito Santo, plasmou João. Por isso seu nome é tão verdadeiro: “Iohanah”, em hebraico: Deus dá a graça! Ele mesmo, João, já é uma graça de Deus para seus pais e para todos os que esperavam a salvação de Israel.

Hoje, quando um mundo insensível e descrente já não reconhece que a vida é um mistério de amor, é um chamado de Deus, quantos são abortados, quantos deixados de modo indigno e imoral no frio congelamento dos laboratórios de procriação artificial: lá esquecidos, lá manipulados em inaceitáveis experiências pseudocientíficas!

Nós que ouvimos a Palavra de Deus; nós, que nos alegramos com este nascimento, nunca esqueçamos: toda vida humana é sagrada do primeiro ao último instante do nosso caminho terreno. É imoral, perverso e desumano um governo que reduz a questão do aborto a problema de “política pública”. Que o Senhor nos ajude a defender a vida, a gritar por ela! Que o Senhor também nos dê a sabedoria para descobrir e experimentar que a nossa vida – por quanto pobre e pequena – também é preciosa! Que hoje eu me pergunte: Qual o propósito da minha existência? Já o descobri? Já me conformei a ele? Sou vosso, Senhor, de vós nasci e para vós nasci! Que quereis fazer de mim?

Em segundo lugar, ainda que a vida nossa seja fruto do amor do Senhor, isso não significa facilidades. João deveria preparar o caminho do Messias, do Cristo de Deus. E isto iria custar-lhe: “Eu disse: ‘Trabalhei em vão, gastei minhas forças sem fruto, inutilmente; entretanto o Senhor me fará justiça e o meu Deus me dará recompensa’”.

O grande desafio da nossa vida de crentes é viver na presença de Deus, é ser fiel à sua santa vontade e à missão que ele nos confiou. Ser fiel à missão custou a João: a dureza do deserto, as incompreensões dos inimigos, a trama de Herodíades, a dificuldade de perceber a vontade Deus (basta recordar João perguntando a Jesus: “És tu aquele que há de vir, ou devemos esperar um outro?”- Mt 11,3) e, finalmente, o aparente abandono, o aparente absurdo do silêncio de Deus, na solidão e na morte naquele cárcere.

O que manteve João fiel até o fim? A confiança no Senhor, a capacidade de deixar-se guiar por Deus, sem querer ele mesmo controlar sua vida! Grande João! Fiel João! Pobre de Deus, João! Que exemplo para nós, tanta vez tentados a fazer da vida o que bem queremos, como se nascêssemos de nós mesmos e vivêssemos para nós mesmos! “Quer vivamos quer morramos, pertencemos ao Senhor! (Rm 14,8)”.

Certa vez São Paulo escreveu: “Nenhum de nós vive para si…” (Rm 14,7) Desde o ventre materno, o Senhor chamou João para ser o que prepara o caminho, o que vem antes, o “pré-cursor” Toda a sua existência foi “precursar”! No terceiro evangelho isso aparece de modo comovente: anuncia-se o nascimento de João e depois o de Jesus; narra-se a natividade de João e a seguir a do Messias; apresenta-se o ministério de João e, após sua prisão, o do Salvador; finalmente, narra-se a morte de João, prenúncio da morte do nosso Senhor!

Não é fácil não viver para si, não é fácil deixar que Outro seja o centro! E, no entanto, como diz a segunda leitura, “João declarou: ‘Eu não sou aquele que pensais que eu seja! Depois de mim vem Aquele, do qual nem mereço desamarrar as sandálias’”; “É necessário que ele cresça e eu diminua!”

Santo profeta João Batista: sendo humilde, foi o maior dos nascidos de mulher; sendo totalmente preso à sua missão de modo fiel e constante, foi livre de verdade; sendo todo esquecido de si e lembrado de Deus, foi maduro e feliz! Por isso mesmo, seu nome foi verdadeiro e traduziu perfeitamente seu ser e sua missão: João, Iohanah: Deus dá a graça.

E a graça que, para seus pais, foi João no seu nascimento, na verdade era outra graça: a graça que Deus dá é Jesus, o Messias; graça que João anunciou com seu nascimento, com sua vida, com sua pregação e com sua morte!

4. Ligando a Palavra com a Ação Eucarística

Ao recordar hoje, cheios de alegria, o nascimento do Precursor, louvemos a Deus que faz maravilhas nos Seus santos. Eles são a Sua obra prima. São João Paulo II lembrava-nos repetidas vezes que Deus nos chama a todos à santidade, como tinha recordado o Concílio Vaticano II. É para isso que estamos no mundo.

Ser santo é ser feliz. A Igreja recorda com alegria em cada ano os seus santos. E o povo, mesmo não cristão, aproveita os santos populares para manifestações de alegria. Como que a dizer que a santidade é fonte da verdadeira felicidade já na terra.

Celebrar a festa de São João Batista é ouvir o apelo de Deus a sermos santos, sem medo do sacrifício que a vida de cada dia nos pede. Os santos descobriram o segredo da alegria já neste mundo. E o caminho para ela não é fácil, exige sacrifício, luta de todos os dias.

Que este grande profeta, o maior do Antigo Testamento, do céu interceda por nós!

Oração dos fiéis:

Presidente: Irmãos caríssimos, imploremos humildemente a Deus Pai, que manifestou sua misericórdia enviando João Batista como precursor de seu Filho.

Todos: Senhor, escutai a nossa prece.

1. Pelo bem de todos e a paz da sociedade, para que cada um possa desempenhar convenientemente seu trabalho, e que sejam protegidos os direitos de todos, rezemos:

2. Pelos judeus, para que saibam reconhecer em Jesus o Salvador do mundo, como João apontou, rezemos:

3. Pelos pobres e os perseguidos, para que o Senhor faça resplandecer neles o caminho da salvação, rezemos:

4. Por todos nós que estamos aqui reunidos, para que nos apresentemos ao Senhor como povo bem-disposto, rezemos:

(Outras intenções)

Presidente: Deus, abençoai o vosso povo para que possa obter tudo quanto lhe concedestes pedir, confiando na intercessão de São João Batista. É o que nós vos pedimos por Jesus Cristo, vosso Filho, que convosco vive e reina para sempre. Todos: Amém.

LITURGIA EUCARÍSTICA

ORAÇÃO SOBRE AS OFERENDAS:

Presidente: Ó Deus, acorremos ao altar com os nossos dons, celebrando com a devida honra o nascimento de São João Batista, que anunciou a vinda do Salvador do mundo, e o mostrou presente entre os homens. Por Cristo, nosso Senhor.

Todos: Amém.

ORAÇÃO APÓS A COMUNHÃO:

Presidente: Restaurados, ó Deus, à mesa do Cordeiro divino, concedei que a vossa Igreja, alegrando-se pelo nascimento de São João Batista, reconheça no Cristo, por ele anunciado, Aquele que nos faz renascer. Por Cristo, nosso Senhor.

Todos: Amém.

BÊNÇÃO E DESPEDIDA:

Presidente: O Senhor esteja convosco.

Todos: Ele está no meio de nós.

Presidente: Abençoe-vos o Deus todo-poderoso, Pai e Filho e Espírito Santo.

Todos: Amém.

Presidente: Ide em paz e que o Senhor vos acompanhe.

Todos: Graças a Deus.

Agenda de Dom Vilson para junho/2018

Dia 21/06: Quinta-feira: Missa no Seminário Maior às 17h00 (Campinas); e Crisma na Paróquia Nossa Senhora Aparecida, Pe. Marcio Catani, às 19h30, em Iracemápolis, SP.

Dia 23/06 – Sábado:  Encontro da Pastoral da Educação, a nível estadual, tema: EDUCAÇÃO, FAMÍLIA E ESCOLA, das 08h00 às 16h00. Local: Paróquia Sagrado Coração de Jesus, Limeira, SP.

Dia 24/06 – Domingo: Missa e translado dos restos mortais do Pe. Sebastião Vasconcelos, às 09h00, na Paróquia São Cristóvão, Limeira, SP.

Dia 27/06 – Quarta-feira: Reunião Ordinária da Sub-região Pastoral – Sul 1 Campinas (bispos e Coordenadores de Pastoral), às 09h00, no CDL, em Limeira, SP.

Dia 28/06 – Quinta-feira: Reunião do Conselho Episcopal, às 09h00, na residência de Dom Vilson.

Dia 28/06 até 01/07 – Quinta-feira a domingo: 4º. Congresso Missionário de Seminaristas, em Mogi das Cruzes, SP, promovido pelo COMISE, CNBB/Sul 1.

Dia 29/06 – Sexta-feira: Missa no Seminário Propedêutico N. Sra. das Dores, em Limeira, SP.

Dia 01/Julho – Domingo: Missa e Ordenação Diaconal às 15h00 na Basílica Santuário de Santo Antônio de Pádua, cidade de Americana, SP.

Conheça o Bispo
HOME
 
DIOCESE
Conselhos e Comissões
Centro Diocesano de Limeira (CDL)
Bens Culturais
 
CLERO
 
SERVIÇOS
Secretariado de Pastoral
Rádios
Links Uteis
+ Economato
 
 
CNBB
 
STA SÉ / VATICANO
 
CONTATO
© 2016 Todos os direitos reservados
Diocese de Limeira