HOME DIOCESE CLERO SERVIÇOS DOWNLOADS CNBB STA SÉ / VATICANO CONTATO
(19) 3441-5329 | contato@diocesedelimeira.org.br     

8º Domingo do Tempo Comum

“A árvore e seus frutos”

 

Leituras: Eclesiástico 27, 5-8; Salmo 91, 2-3.13-16; 1 Coríntios 15, 54-58; e Lucas 6, 39-45.

COR LITÚRGICA: VERDE

Animador: Celebramos o Mistério Pascal de Cristo que nos convida a olhar para nossas fraquezas e a reconhecer nossas limitações, mas que também nos impulsiona para que nossas atitudes e gestos gerem frutos diante da comunidade.

1. Situando-nos brevemente

Continuamos o itinerário no caminho de Jesus, que hoje nos coloca uma exigência a mais: é preciso refletirmos como está sendo nossa caminhada de discípulos, como é que estamos agindo no seguimento de Jesus.

Na comunidade de Jesus, o líder não pode ser cego, ele precisa ser discípulo, perfeito como o mestre (Mt 10, 40-42), ele também não pode corrigir o irmão enquanto não olhar para os seus próprios defeitos e buscar em si a capacidade de não julgar.

2. Recordando a Palavra

O texto do Evangelho, proposto pela liturgia de hoje, apresenta a última parte, por assim dizer, do Sermão da Planície de Lucas. Todo esse discurso gira em torna da preocupação da vida comunitária e vai por conseguinte, refletir a relação entre o discípulo e o mestre.

Para o mestre, Jesus chama a atenção para a necessidade de ser lúcido, principalmente nas coisas do Reino para que ele não se torne um guia cego e leve seus irmãos à condenação. Uma vez que o mestre estiver desnorteado não conseguirá orientar seu discípulo, pois o discípulo não é maior que o mestre.

O discípulo, por sua vez, também deve possuir me si a clareza de que não será maior que o mestre, pode até assemelhar-se a ele, mas não ser maior. E é nesse sentido que o evangelista chama a atenção para se olhar para as próprias fraquezas e reconhecer as limitações, antes mesmo de pensar em corrigir as fraquezas de alguém. Pois se não fores capaz de conhecer suas próprias fraquezas, não conseguirá ver nem a dos seus irmãos.

Em seguida, Jesus usa o exemplo da árvore e de seus frutos para comparar à maneira como se deve proceder numa ocasião de julgamento. É preciso reconhecer a árvore pelos seus frutos, pois há árvores semelhantes mas com frutos totalmente diferentes. Pois assim também são os homens, normalmente produzimos aquilo que temos no nosso coração e é por isso que as pessoas nos reconhecem por aquilo que temos no coração e como já nos lembra a primeira leitura e que é resumido em um ditado popular: ‘a boca fala do que o coração está cheio”

Nesse sentido, temos nesse relato, uma sequência do que pode ser chamado de “bom senso dos cristãos”, ou “bom senso do Reino, que imuniza tanto o mestre como o discípulo de se passar de hipócrita.

Esse é um tema que, por mais difícil que seja, temos que mais cedo ou mais tarde assumir em nossas vidas, de que talvez tenhamos em nós um pouco ou muita hipocrisia. E como esse mal da hipocrisia fere e adoece nossas comunidades. O que Jesus está dizendo não é que não se pode ter um espírito ou uma postura crítica, mas é preciso que essa postura seja filtrada.

Pois o hipócrita é aquele que, como diz Jesus em outra passagem, impõe cargos pesados ao povo, mas eles mesmos não são capazes de carregar (Mt 23, 4).

A segunda leitura nos traz o tema da ressurreição, marcando aqui o discurso triunfal da vida sobre a morte, “onde fica agora teu aguilhão, ó morte (1Cor 15, 55). Uma vez que o aguilhão da morte é o pecado e agora o pecado sendo vencido em Cristo, morto e ressuscitado, o apóstolo Paulo parece debochar da morte.

Essa é, de fato, uma postura convicta da vida que vence a morte e da própria esperança que deve permear todo o coração do cristão. Cristo é aquele que nos livre do laço da morte e dá ao seu povo vida e uma vida abundante e longa, cheia de sabedoria, como nos é proposto na primeira leitura.

3. Atualizando a Palavra

É preciso fazermos um exame de consciência diante daquilo que nos é proposto para rezar hoje, ou seja, olhar com carinho e atenção para as nossas fraquezas e percebermos o que é que ainda precisa ser melhorado em nós para que cada vez mais nos assemelhemos ao Cristo, nosso Mestre.

Jesus fala em um contexto rodeado pelas belas palavras, mas vazio. E parece não ser diferente hoje, estamos rodeados de belos e eloquentes discursos, muitos de nossos irmãos vivem apenas da aparência da palavra e ainda nos falta um grande testemunho.

Muitas ainda nos são as promessas e os grandes discursos daqueles que nos lideram e parecem que as coisas continuam sempre as mesmas.

Também em nossas comunidades, corremos ainda o risco de sempre julgar nosso irmão ou sempre procurar apontar onde é que ele erra, o que acaba causando em nossas comunidades, intrigas e fofocas, e onde deveria reinar o contrário, amor e fraternidade.

Por fim, ainda enfrentamos com medo a realidade da morte, porém, inspirados na liturgia de hoje, somos chamados a ter fé em Jesus Ressuscitado, que nos mostrou que a vida não termina aqui e que o Pai nos espera no Paraíso

4. Ligando a Palavra com a ação eucarística

Na celebração, fazemos memória e atualizamos no aqui e agora da nossa vida e nossa história, o mistério de Cristo, que passa pela cruz, pela morte e conduz à vida. Ele nos salva perdendo-se a si mesmo. Ele nos tira do anonimato da morte, fazendo-se o último dos homens. Jesus sempre nos pede para que o sigamos e o imitemos em nosso discipulado.

Na profissão de fé, renovamos nosso compromisso de não compactuarmos com a esterilidade das belas palavras e dos grandes discursos, mas nos propomos, pela renovação de nossa fé a sermos frutuosos na missão que o Senhor nos conduz.

O Senhor, que não abandonou Jesus Cristo à morte, está sempre ao nosso lado; esta é a certeza do salmista: “Ainda na velhice produz frutos” O caminho da cruz e do seguimento revela-se bem concretamente em nosso jeito de ser e de viver, assumindo as atitudes de Cristo que se fez servo para que as pessoas pudessem viver mais digna e plenamente como filhas, revestidas de Cristo, herdeiras segundo a promessa.

PRECES DOS FIÉIS

Presidente: Que a graça de Deus possa nos ajudar na convivência com Jesus, através do discipulado, e revestidos pela sua vida, possamos testemunhar o seu Evangelho.

1. Senhor de Bondade, dai ao Papa, Bispos, Presbíteros e Diáconos de sua Igreja, sabedoria e discernimento para um bom e frutífero pastoreio. Peçamos:

Todos: Senhor, ajudai-nos a frutificar.

2. Senhor, que os governantes, se preocupem com a promoção da vida, especialmente dos mais pobres e sofredores. Peçamos:

3. Senhor, que as pessoas que ainda não conhecem o Cristo tenham a oportunidade de conhecê-Lo por meio do testemunho dos cristãos. Peçamos:

4. Senhor, que nossa comunidade seja mais acolhedora e solidária a fim de que seja sinal vivo do teu Reino. Peçamos:

(Outras intenções)

Presidente: Tudo isso te pedimos, ó Deus, confiados em teu amor de Pai. Por Cristo, nosso Senhor.

Todos: Amém.

III. LITURGIA EUCARÍSTICA

ORAÇÃO SOBRE AS OFERENDAS:

Presidente: Ó Deus, que nos dais o que oferecemos e aceitais nossa oferta como um gesto de amor, fazei que os vossos dons, nossa única riqueza, frutifiquem para nós em prêmio eterno. Por Cristo, nosso Senhor.

Todos: Amém.

ORAÇÃO PÓS-COMUNHÃO:

Presidente: Tendo recebido o pão que nos salva, nós vos pedimos, Ó Deus, que este sacramento, alimentando-nos na terra, nos faça participar da vida eterna. Por Cristo, nosso Senhor.

Todos: Amém.

V. RITOS FINAIS

BÊNÇÃO E DESPEDIDA:

P – O Senhor esteja convosco

T – Ele está no meio de nós.

P Que o Senhor de bondade e misericórdia, volte seu olhar para cada um e faça acontecer uma grande transformação em cada coração, tornando-o justo e misericordioso.

T – Amém.     

P – Abençoe-vos o Deus todo-poderoso, + Pai e Filho e Espírito Santo.

T – Amém.

P – A alegria do Senhor seja a vossa força, ide em paz e o Senhor vos acompanhe.       

T – Graças a Deus.

FEVEREIRO:

27/02 Quarta-feira: Missa e posse de administrador paroquial, Pe. Cassio, às 19h30, na Quase-paróquia Santa Teresinha, em Nova Odessa, SP.

28/02 Quinta-feira: Missa e posse de pároco, Pe. Jonathan, às 19h30, na Paróquia São Benedito, em Americana, SP.

MARÇO:

01/03 - Sexta-feira: Missa e posse de pároco, Pe. Valter Rossini, às 19h30, na Paróquia Sagrado Coração de Jesus, em Conchal.

02/03 - Sábado: Missa e posse de administrador paroquial, Pe. Donizeti, às 19h30, na Quase-paróquia Nossa Senhora de Lourdes, em Araras, SP.

03/03 – Domingo: Missa e Posse de pároco, Pe. Israel, às 09h00, na Paróquia Santo Expedito, em Limeira, SP.

03/03 - Domingo: Missa e posse de pároco, Pe. João Bosco, às 18h00, na Paróquia São Sebastião, em Descalvado, SP.

08/03 - Sexta-feira: Missa e posse de administrador paroquial, Pe. Antônio Marcos Moreira, às 19h30, na Quase-paróquia Santa Luzia, em Pirassununga, SP.

10/03 - Domingo: Missa e posse de pároco, Pe. Diego Fabian, às 08h30, na Paróquia Santa Gertrudes, em Cosmópolis, SP.

22/03 – Sexta-feira: Missa e posse de pároco, Pe. Antônio Marcos Venezian, às 19h30, na Paróquia São Francisco de Assis, em Americana, SP.

29/03 – Sexta-feira: Missa e posse de pároco, Pe. Marcos Daniel, às 19h30, na Paróquia Nossa Senhora do Carmo, em Americana, SP.

Conheça o Bispo
HOME
 
DIOCESE
Conselhos e Comissões
Centro Diocesano de Limeira (CDL)
Bens Culturais
 
CLERO
 
SERVIÇOS
Secretariado de Pastoral
Rádios
Links Uteis
+ Economato
 
 
CNBB
 
STA SÉ / VATICANO
 
CONTATO
© 2016 Todos os direitos reservados
Diocese de Limeira